8 dicas infalíveis para melhorar a qualidade das suas peças

Escrever peças jurídicas de qualidade pode ser um desafio e tanto, principalmente para advogados que estão apenas começando no mundo jurídico. A falta de experiência pode nos levar a redigir textos informais, que acabam levantando dúvidas sobre a qualidade das peças e colocando em risco a causa de seu cliente. Para evitar esses e outros problemas causados pela inadequação na escrita, confira essas oito dicas sobre como melhorar a qualidade de suas peças.

Crie seus próprios modelos de sucesso

Não há nada pior para um juiz do que receber modelos de petições prontas em sua mesa, principalmente quando eles pecam no quesito qualidade. Isso denota desinteresse e falta de comprometimento por parte do advogado.

É ruim para o cliente, e também pode prejudicar sua reputação na área. Procure evitar a utilização desses modelos e trate cada caso de forma única.

Isso pode parecer mais trabalhoso inicialmente, mas, escrever suas próprias peças vai ser um exercício de aprendizado e fixação, principalmente para quem está no início de carreira.

Seja objetivo

Evite floreios e rebuscamento excessivo ao escrever suas peças. Cada vez mais, juízes, promotores e a própria OAB têm advogado pela simplificação da linguagem jurídica.

Seu cliente não vai achar que você é um profissional mais qualificado simplesmente porque você usa um vocabulário difícil em suas peças.

Padronize suas peças

Para manter uma linha coerente em seu escritório, procure padronizar suas peças esteticamente. E apenas ressaltando que padronizá-las esteticamente não significa ter um modelo único de peça para todas as suas causas.

Além de utilizar uma mesma fonte, deve-se buscar o mesmo tamanho e a mesma formatação das margens, títulos e subtítulos em todas as peças. Deixe também suas informações de contato no rodapé de cada página.

Atenção às margens do processo

Preferencialmente, procure deixar uma margem maior à esquerda da página. Ainda não são todas as jurisdições que trabalham com o processo eletrônico e, ao ser juntada no processo físico, sua petição precisa deixar o conteúdo legível, longe dos furos do grampo.

Evite utilizar fontes coloridas e disformes

O juiz não vai prestar mais ou menos atenção naquilo que você escreve só porque foram utilizadas fontes coloridas. Ao contrário, isso pode passar uma imagem pouco profissional para seu escritório.

Atenção redobrada com os valores do processo

Procure sempre escrever os valores da causa e demais números citados ao longo do processo em extenso. Isso evita que erros bastante graves e possivelmente irreversíveis sejam cometidos simplesmente porque você esqueceu alguns zeros à direita do valor.

Siga uma linha argumentativa lógica

Assim como em uma redação acadêmica, peças jurídicas devem seguir uma argumentação lógica e coerente. É preciso “contar uma história” ao juiz com começo, meio e fim. O objetivo final é convencê-lo, por isso trate de não perdê-lo ao longo do texto.

Faça uma revisão final de tudo que escreveu

Sempre revise a versão final de suas peças. Inevitavelmente, acabamos deixando passar um ou outro erro de ortografia e gramática, isso para não falar em omissões de conteúdo. É nessas horas que melhoramos sensivelmente a qualidade de nossas peças. Se possível, deixe para fazer isso no dia seguinte, já descansado e com mais objetividade.

Como se pode perceber, as recomendações não são nada complicadas. Basta colocá-las em prática e começar agora mesmo a escrever peças de melhor qualidade em seu escritório. Recomenda-se também adotá-las como práticas regulares!

Ainda tem dúvidas ou outras sugestões? Que tal compartilhar aqui com a gente? Deixe seu comentário!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *